Hidratação no verão

Hidratação no verão

Por Fabiana Honorato em 20/03

Quando pensamos em verão, imaginamos férias, viagem em família, amigos, piscina, praia, sol e calor. Nosso corpo sofre com as altas temperaturas, e para amenizar a situação e manter a homeostasia (equilíbrio das funções fisiológicas), utiliza mecanismos  de termorregulação, sendo o suor o mais evidente e conhecido.

De onde vem o suor?

A sudorese ocorre quando as glândulas sudoríparas são estimuladas pelo sistema nervoso e grande quantidade de suor é produzido. Em dias quentes, a tendência é aumentar a quantidade de transpiração, com isso, a fluidez do suor pelas glândulas é tão rápida que há grande perda de água e sais minerais, pois não houve tempo ou líquidos ingeridos o suficiente para que fosse feita a reabsorção.

Como há maior perda de água e sais minerais no verão, há a necessidade de  hidratação constante. Vamos entender porquê a água é tão importante para nós:

Para começar, mais da metade do nosso corpo é constituído por água, aproximadamente 60% dele. Sua  importância começa a nível celular pois o principal meio líquido da maioria das células é água, na concentração de 70% a 85%, com exceção das células de gordura. Muitos constituintes químicos são encontrados na água, o que justifica sua importância para reações químicas e metabólicas em geral, essenciais para a manutenção do corpo. A reposição do líquido que foi perdido através do suor é importante para manter as condições ideais para que nosso organismo funcione adequadamente.

Hidratação no verão - importância

Quanto de água eu preciso?

De acordo com o Guia Alimentar para a População Brasileira, promovido pelo Ministério da Saúde, uma pessoa deve tomar pelo menos 2 litros de água por dia, mas que essa quantidade depende de alguns fatores:

  1. Clima: em dias mais quentes precisamos de mais água porque transpiramos mais do que em dias mais frios.
  2. Nível de atividade física: durante um exercício físico, a temperatura do nosso corpo aumenta, e para regular a temperatura ele promove a transpiração, com isso perdemos mais água e sais minerais levando à uma necessidade maior de tomar água.
  3. Dieta: uma alimentação rica em sódio (especialmente o sal) prejudica a hidratação em geral, pois quimicamente falando, o sódio tem afinidade pela água e essa propriedade faz com que o organismo retenha líquido. Por isso, quem tem adota tipo de dieta precisaria ingerir mais água, a fim de equilibrar a quantidade de sais diluídos no corpo, diminuindo a concentração de sal presente na corrente sanguínea.

Uma maneira simples de identificar o estado de hidratação é observar a cor da urina:

  1. Urina escura: concentrada, pode indicar que o organismo está desidratado e é necessária a ingestão de líquidos;
  2. Urina muito clara, quase transparente: pode indicar excesso de líquidos;
  3. Urina amarelo-âmbar: é a coloração que sugere normalidade nos níveis de hidratação.

É importante lembrar que a água é indispensável em processos como digestão, circulação, eliminação de impurezas (pelo suor e urina) entre outros. Cuide de seu corpo, hidrate-se!

Hidratação no verão - infográfico

Água presente nos alimentos também vale!

Não é só bebendo água que nos hidratamos, mas também pela alimentação. No verão nosso apetite tende a diminuir, por isso a escolha de alimentos leves é a melhor opção para manter a saúde. Há muitas frutas ricas em água e você pode consumí-las individualmente, em suco e até saladas de frutas; uma alternativa saborosa para hidratar-se. Porém, não há nada como um bom copo de água fresquinha…

Referências:

Tratado de Fisiologia Médica – Hall

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA – Promovendo a Alimentação Saudável – Ministério da Saúde

*Artigo originalmente publicado por Glória Maria dos Santos